domingo, 9 de noviembre de 2014

BRASIL: Companheiro CLEOMAR, Presente na luta !

REALIZADO EM BH O ATO EM REPÚDIO AO ASSASSINATO DO DIRIGENTE CAMPONÊS CLEOMAR RODRIGUES

Por MÁRIO LÚCIO DE PAULA / A Nova Democracia

Na noite de ontem, 6 de novembro, dirigentes e ativistas de partidos e organizações sindicais e populares, operários, advogados, jornalistas, professores e estudantes compareceram ao 'Ato em repúdio ao assassinato do dirigente camponês Cleomar Rodrigues', realizado no auditório do Sindicato dos Empregados no Comércio de Belo Horizonte, Minas Gerais.

Na abertura do Ato, presidido pela Associação Brasileira dos Advogados do Povo (Abrapo), foi exibido um vídeo do funeral de Cleomar, em Pedras de Maria Da Cruz, no Norte de Minas, com as manifestações de revolta e solidariedade de organizações democráticas e populares.

A Sra. Dira, dirigente da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) do Norte de Minas e Sul da Bahia e companheira de Cleomar, não pôde comparecer ao Ato por estar acompanhando o parto de uma filha. Emocionou a todos sua fala registrada no vídeo narrando as dificuldades enfrentadas com seu companheiro e a felicidade de poder ter compartilhado a vida e a luta com Cleomar. Ela cobrou punição para os responsáveis pelo assassinato de seu companheiro, mandantes e executores, bem como destacou que as “autoridades” e instituições que citou nominalmente, entre elas o Incra, “têm culpa do que aconteceu”.

Fizeram uso da palavra: Associação Brasileira dos Advogados do Povo (Abrapo), Liga Operária, Movimento Feminino Popular (MFP), Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR), Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP), Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Minas Gerais (Sintect), Partido da Causa Operária (PCO), Partido Comunista Brasileiro (PCB), Sindicato dos Trabalhadores da Construção de Belo Horizonte e Região (Marreta) Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (Cebraspo), Comitê dos Familiares dos Presos Políticos (RJ), Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania (IHG) e Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação (Moclate).  Também foi registrada a presença de ativistas do Movimento Marxista 5 de Maio (MM5). 

Os oradores desses movimentos expressaram sua solidariedade com a Liga dos Camponeses Pobres e com familiares e companheiros de Cleomar. Comprometeram-se em somar esforços na denúncia e nas ações de solidariedade, além de empenhar-se para que os responsáveis pelo assassinato do dirigente camponês sejam punidos.

O superintendente do Incra-MG, Danilo Daniel Prado Araújo, também esteve presente e, em sua fala, afirmou que a ação do latifúndio e seus bandos de pistoleiros é uma “afronta ao Estado”.  Ele revelou que, na primeira semana de novembro, após o assassinato de Cleomar, uma equipe do Incra e agentes da Polícia Federal estiveram em Pedras de Maria da Cruz para realizar uma demarcação em uma fazenda e foram impedidos de entrar pelo latifundiário e seus “seguranças”. A equipe da Polícia Federal teve que “recuar” devido ao “efetivo insuficiente”. Em sua fala, o Dr. Danilo ainda que convidou os camponeses para participar de uma reunião que ocorrerá em Montes Claros no dia 20 de novembro, para a qual também foram convidados os latifundiários.

A fala do superintendente foi respondida e repelida pelos oradores que o sucederam. Ele foi respondido com uma contundente denúncia de toda a situação da luta pela terra no Norte de Minas desde a histórica batalha de Cachoeirinha (hoje conhecida como o município de Verdelândia), marcada por heroica resistência camponesa e massacres covardes perpetrados por agentes do velho Estado, seus bandos de pistoleiros e forças policiais. Foi denunciada a enrolação do Incra nos processos de desapropriação de terras, a covardia e omissão do Incra e “autoridades” (entre elas promotores, comando da PM, Ministério Público etc.) que estiveram presentes em Audiência Pública realizada em Pedras de Maria da Cruz em 9 de outubro último, em que participaram mais de 300 camponeses, ocasião em que Cleomar denunciou os crimes do latifúndio, a tentativa do oportunismo de dividir os camponeses em luta pela terra e apontou para o pistoleiro Marcos Gusmão, acusou-o diante das “autoridades” de fazer serviço de pistolagem para os latifundiários da região. Na ocasião, Marcos Gusmão, que hoje encontra-se preso acusado do assassinato de Cleomar, estava sentado ao lado do prefeito de Pedras de Maria da Cruz e do filho de um latifundiário e riu de Cleomar e dos mais de 40 camponeses que fizeram uso da palavra confirmando as denúncias de Cleomar.

Nada, absolutamente nada, foi feito pelas ditas “autoridades” para solucionar o problema da terra e para impedir o crime do latifúndio.

E sobre o convite para a reunião em Montes Claros, foi respondido que os camponeses veem com grande reserva reuniões desse tipo, que além de não solucionarem nada, os latifundiários, inimigos de morte dos camponeses, são convidados e tratados com toda reverência. Foi feita a denúncia que, justamente após reuniões como essas, com a presença de Incra; do Ouvidor Agrário Nacional (Gercino José da Silva); comando da PM; Ministério Público, e outras “autoridades”, e também de latifundiários, vários dirigentes e ativistas camponeses e indígenas foram presos e assassinados no Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Rondônia, e por último, Cleomar Rodrigues, no Norte de Minas.

O superintendente Danilo retirou-se do ato sem ouvir tudo o que disseram os demais oradores.

O ato foi concluído com todos os presentes assumindo o compromisso de se empenhar no apoio a uma manifestação planejada pela Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Bahia, que será realizada em Pedras de Maria da Cruz, para denunciar o assassinato de Cleomar, no próximo 24 de novembro.


REALIZADO EM BH O ATO EM REPÚDIO AO ASSASSINATO DO DIRIGENTE CAMPONÊS CLEOMAR RODRIGUES

Por MÁRIO LÚCIO DE PAULA / A Nova Democracia

Na noite de ontem, 6 de novembro, dirigentes e ativistas de partidos e organizações sindicais e populares, operários, advogados, jornalistas, professores e estudantes compareceram ao 'Ato em repúdio ao assassinato do dirigente camponês Cleomar Rodrigues', realizado no auditório do Sindicato dos Empregados no Comércio de Belo Horizonte, Minas Gerais.
Na abertura do Ato, presidido pela Associação Brasileira dos Advogados do Povo (Abrapo), foi exibido um vídeo do funeral de Cleomar, em Pedras de Maria Da Cruz, no Norte de Minas, com as manifestações de revolta e solidariedade de organizações democráticas e populares.
A Sra. Dira, dirigente da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) do Norte de Minas e Sul da Bahia e companheira de Cleomar, não pôde comparecer ao Ato por estar acompanhando o parto de uma filha. Emocionou a todos sua fala registrada no vídeo narrando as dificuldades enfrentadas com seu companheiro e a felicidade de poder ter compartilhado a vida e a luta com Cleomar. Ela cobrou punição para os responsáveis pelo assassinato de seu companheiro, mandantes e executores, bem como destacou que as “autoridades” e instituições que citou nominalmente, entre elas o Incra, “têm culpa do que aconteceu”.
Fizeram uso da palavra: Associação Brasileira dos Advogados do Povo (Abrapo), Liga Operária, Movimento Feminino Popular (MFP), Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR), Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP), Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Minas Gerais (Sintect), Partido da Causa Operária (PCO), Partido Comunista Brasileiro (PCB), Sindicato dos Trabalhadores da Construção de Belo Horizonte e Região (Marreta) Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (Cebraspo), Comitê dos Familiares dos Presos Políticos (RJ), Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania (IHG) e Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação (Moclate). Também foi registrada a presença de ativistas do Movimento Marxista 5 de Maio (MM5).
Os oradores desses movimentos expressaram sua solidariedade com a Liga dos Camponeses Pobres e com familiares e companheiros de Cleomar. Comprometeram-se em somar esforços na denúncia e nas ações de solidariedade, além de empenhar-se para que os responsáveis pelo assassinato do dirigente camponês sejam punidos.
O superintendente do Incra-MG, Danilo Daniel Prado Araújo, também esteve presente e, em sua fala, afirmou que a ação do latifúndio e seus bandos de pistoleiros é uma “afronta ao Estado”. Ele revelou que, na primeira semana de novembro, após o assassinato de Cleomar, uma equipe do Incra e agentes da Polícia Federal estiveram em Pedras de Maria da Cruz para realizar uma demarcação em uma fazenda e foram impedidos de entrar pelo latifundiário e seus “seguranças”. A equipe da Polícia Federal teve que “recuar” devido ao “efetivo insuficiente”. Em sua fala, o Dr. Danilo ainda que convidou os camponeses para participar de uma reunião que ocorrerá em Montes Claros no dia 20 de novembro, para a qual também foram convidados os latifundiários.
A fala do superintendente foi respondida e repelida pelos oradores que o sucederam. Ele foi respondido com uma contundente denúncia de toda a situação da luta pela terra no Norte de Minas desde a histórica batalha de Cachoeirinha (hoje conhecida como o município de Verdelândia), marcada por heroica resistência camponesa e massacres covardes perpetrados por agentes do velho Estado, seus bandos de pistoleiros e forças policiais. Foi denunciada a enrolação do Incra nos processos de desapropriação de terras, a covardia e omissão do Incra e “autoridades” (entre elas promotores, comando da PM, Ministério Público etc.) que estiveram presentes em Audiência Pública realizada em Pedras de Maria da Cruz em 9 de outubro último, em que participaram mais de 300 camponeses, ocasião em que Cleomar denunciou os crimes do latifúndio, a tentativa do oportunismo de dividir os camponeses em luta pela terra e apontou para o pistoleiro Marcos Gusmão, acusou-o diante das “autoridades” de fazer serviço de pistolagem para os latifundiários da região. Na ocasião, Marcos Gusmão, que hoje encontra-se preso acusado do assassinato de Cleomar, estava sentado ao lado do prefeito de Pedras de Maria da Cruz e do filho de um latifundiário e riu de Cleomar e dos mais de 40 camponeses que fizeram uso da palavra confirmando as denúncias de Cleomar.
Nada, absolutamente nada, foi feito pelas ditas “autoridades” para solucionar o problema da terra e para impedir o crime do latifúndio.
E sobre o convite para a reunião em Montes Claros, foi respondido que os camponeses veem com grande reserva reuniões desse tipo, que além de não solucionarem nada, os latifundiários, inimigos de morte dos camponeses, são convidados e tratados com toda reverência. Foi feita a denúncia que, justamente após reuniões como essas, com a presença de Incra; do Ouvidor Agrário Nacional (Gercino José da Silva); comando da PM; Ministério Público, e outras “autoridades”, e também de latifundiários, vários dirigentes e ativistas camponeses e indígenas foram presos e assassinados no Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Rondônia, e por último, Cleomar Rodrigues, no Norte de Minas.
O superintendente Danilo retirou-se do ato sem ouvir tudo o que disseram os demais oradores.

O ato foi concluído com todos os presentes assumindo o compromisso de se empenhar no apoio a uma manifestação planejada pela Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Bahia, que será realizada em Pedras de Maria da Cruz, para denunciar o assassinato de Cleomar, no próximo 24 de novembro

1 comentario:

pedro palo dijo...

La almendra pura del maoismo tiene que manifestarse en el trabajo comunista de los maoistas quienes aplican la dictadura del proletariado enseñando a la clase aplicar una disciplina de hierro, no dejar, en el marco de la camaraderia que se relaje dicha disciplina, su resposabilidad, nada de aquello que tenga comportamientos burgueses y
se exprese ese vomito negro asquerosa moral burguesa.
Se ve con mucha insistencia el trabajo de la izquierda tradicional y los "nuevos maoistas" de hacer trabajo de masas con el falso argumento de insurreccionar tal proceso. Pero no hay tal, la experiencia Bolchevique abrio las puertas a las tormentas de guerras proletarias con un agregado cientifico: EL LENINISMO !!!
El Partido Comunista Chino aplico el leninismo y con el liderazgo del Presidente Mao explosiono la guerra comunista mas importante del mundo despues de la revolucion Bolchevique. "La salvas de la revolucion de Octubre nos trajeron la revolucion comunista" Mao. Asi surge esa nueva tormenta de guerras comunistas y se desataron las guerras populares que se exparcieron por el continente Asiatico, Vietnam, Korea, Laos, Camboya etc. todas de inspiracion maoistas.
En el Continente Americano el maoismo llego con las salvas de la revolucion China, no lo entendieron en su esencia aquellos que lo asumieron, terminaron manosiandolo y se deslizaron por las corrientes revisionistas; para el caribe, Cuba se fue por el frente, ajeno al ML. y si por el revisionismo, por ello Stalin en Cuba es una cosa rara, desconocida, de igual manera Mao es rechazado, pues el revisionismo trata por todos los medios y todos los dias de enterrarlo, pero primero estan siendo enterrados estos malditos revisionistas.
Es el Presidente Gonzalo quien entiende en su esencia el maoismo y lo aplica atraves del glorioso Partido Comunista del Peru, es el Pensamiento Gonzalo!. Enseñanza extraordinaria para hacer de America India un Continente bajo las llamas de la guerra popular, esa chispa se prendio en Peru al sur de America.
Es el Pensamiento Gonzalo el que nos ilumina, el que nos dio la ciencia de los partidos militarizados para fortalecer este desarrollo, es la ciencia que corrige a todos aquellos insurreccionalistas que persisten en el dogmatismo, que algunos les ha dado por despreciar el Pensamiento Gonzalo y despectivamente en llamarlo gonzalismo, pero el desarrollo historico les dara en la madre, pues estos atolondrados persisten en lucha de masas a secas y confunden el camino liberador pues desvergonzadamente en la practica se declaran renegados de la ciencia del mlm principalmente maoista Pensamiento Gonzalo!
Desenmascararlos es la tarea ante las masas, en todas las organizaciones de masas hay que desatar con contundencia, aplicando la dictadura del proletariado, el aplastamiento sin compasion contra estos malditos traficantes de los intereses del proletariado!
Viva la dictadura del proletariado!!!!
Gloria eterna al Pensamiento Gonzalo!!!
Gloria al Partido Comunista del Peru!!!